Desligue o f*da-se

Eu morro de inveja de todos vocês, seres humanos, que não tem problema nenhum em ligar o foda-se. Nenhum. Sério, e eu sou super fã de um desapego, ao passo que não tenho nenhum talento para o mesmo.  Adoro analisar pessoas que não ficam constrangidas em dar de ombros para assuntos e indivíduos. O vulgo Leia mais… »

Mãe: coisa de Deus ou de Darwin?

Talvez tivesse que ser assim. Talvez a nossa humanidade tivesse mesmo que nascer dentro de outro ser humano para garantir que pelo menos uma pessoa no mundo, ia amar a gente de qualquer forma. Acima dos peitos vertendo leite e mamilos doloridos. Acima das fraldas. Isso sem contar a pá de decepções que, vez que Leia mais… »

Mulher pra cacete, opa, mulher pra vagina! 

Eu queria ter escrito uma sessão do dia das mulheres, mas eu me atrasei nas minhas tarefas. Sim, porque meus sogros estão vindo visitar pela primeira vez a nossa casa, e eu queria que tudo estivesse impecável. Meu namorado disse “ai, não se estressa com isso”, mas eu só pensava nos cantos sujos que precisavam Leia mais… »

Das cinzas

Da quarta-feira de cinzas, eis que surge um ano novo. Porque vamos combinar que desde que Brasil é o país do carnaval, a gente precisa ver a Mangueira entrar pra assumir que o ano começou. E eu notei que o ano de fato virou ano, porque tá cheio de gente perguntando como que tira purpurina Leia mais… »

Alô, é do céu?

mediunidadeA comunicação sempre foi uma necessidade intrínseca a raça humana. Não importa se através de barulho de tambores ou áudios de whatsapp. Somos seres sociais, e nos expressamos através da comunicação. É com ela que expomos nossas ideias, verbalizamos nossas angústias, demonstramos nosso afeto. Não existe nada mais reconfortante do que uma ligação para a Leia mais… »

O que li por aí

Ok, já que eu ando mais lendo que escrevendo resolvi contar um pouco sobre minhas leituras por aí. E não foram poucas. Passei 2 meses em uma ilha praticamente deserta, e como eu não surfo (apesar de amar o esporte, e os praticantes – um em especial) os livros foram meus companheiros de viagem. Aqui Leia mais… »

O meu irmão gordo não cabia neste mundo

“A indústria da dieta é o único negócio lucrativo do mundo com um índice de insucesso de 98%.” eatingdisorderfoundation.org Para vocês que acompanham estas sessões públicas de terapia, essa não é uma daquelas que termina com um grande aprendizado de espírito elevado, ou uma celebração das lições da vida. Não, essa não será uma destas Leia mais… »

A casa da mãe Joana

A minha casa sempre foi sinônimo de confusão. Daquelas casas que o cachorro insiste em mijar onde quer, talvez porque saiba que a hierarquia é meio torta. O meu quarto ficava no último andar, numa alusão a uma torre de princesa porque, acredite, eu já quis ser princesa. O meu pai nunca colocou televisão perto Leia mais… »

DOWN, UP!

Você entrou na minha vida como alguém diferente. Irmãzinha da minha melhor amiga, apenas alguns anos mais nova que eu. Teus olhos puxadinhos sorriam com qualquer estímulo. “Manuela” te chamaram, embora tu atendesse melhor com carinhos e cosquinhas. Um bebê lindo e “especial”. Pois é, além de Manuela, te chamavam de especial, e eu entendi Leia mais… »

Não sou da geração Pugliesi

Eu admiro para caralho as pessoas que sentem prazer em se exercitarem. Juro. De verdade. Às vezes quando num domingo, estou segurando o meu copo de chopp em um boteco qualquer, e passa alguém correndo, suando os poros para fora, eu tenho vontade de me levantar e bater palmas. Porque o sujeito que levanta do Leia mais… »