O espelho quebrado

Quem lê este divã algum tempo, entende muito bem que eu não sou psicóloga. Aliás, muito pelo contrário. Sou eu quem está no divã. “Antônia no Divã” é o nome do blog. Não é “Antônia na cadeira”. Já ficou claro que aqui se tratam de sessões de terapia públicas. Minhas sessões. Eu não digo como Leia mais… »

Ressignificar

Eu moro na praia. Um lugar tranquilo. Toda vez que eu abro a janela, eu posso ouvir o mar. As ondas quebrando. Você não imagina o quanto o som é relaxante. Isso claro, até o momento em que a Vera acorda. A Vera é a vizinha do lado, cujo único prazer, ao que me parece, Leia mais… »

O dia do meu casamento

Hoje acordei de um sonho muito real. Nele eu me preparava para o dia do meu casamento. Eu me lembro do toque do tecido do vestido no meu corpo. Eu me lembro do cheiro das flores. Lembro-me do vento que batia no meu rosto enquanto eu esperava para entrar na igreja. Era um dia feliz Leia mais… »

Pequenos grandes mestres

Eu pensei que ia demorar mais para eu levar um baile dos meus irmãos. lembro deles ainda tão pequeninhos. Eu nunca imaginei que com 7 anos de idade, a gente trocaria de lugar entre mestre e aprendiz, mas isso aconteceu. Eu devia estar ocupada no meu celular ou pagando boletos enquanto eles criaram senso crítico Leia mais… »

Me ame quando for difícil 

Eu sei que hoje eu deveria ser romântica. Pensar em botões de rosas e sushis hiper-faturados a luz de velas. Sei que deveria repetir as juras de amor dignas dos apaixonados e fazer votos de amores daqueles “felizes para sempre”. Mas sinceramente o amor que quero é outro. Me ame quando for difícil me amar. Leia mais… »

Comece antes de estar pronto

Meu trabalho e profissão viraram do avesso desde que eu decidi sair de um emprego fixo, com uma cadeira só minha e um cartão de visitas com o meu nome. Eu não tenho mais horário, rotina, e meu escritório é uma mochila nas minhas costas. A única coisa fixa nesta minha nova realidade é a Leia mais… »

Mó otária

Peguei o rumo de São Paulo com objetivo de fugir. Claro, eu tinha outros compromissos na capital paulista, mas a ideia central era que eu precisava de um tempo fora de casa. Dar umas férias para a cabeça, achar refúgio para o coração cansado. Queria distância da violência do meu estado, que passou a ser Leia mais… »

365 dias sem você

Eu prometi para mim que não contaria os dias da tua ausência. Mas essa foi mais uma das vezes que me enganei para poder sobreviver a nossa separação. Como uma dependente química em recuperação. “Hoje eu sobrevivi mais um dia sem meu irmão”. Fato é que eu contei cada um dos dias desde a tua Leia mais… »

A arte de decepcionar

Dia desses mandei uma mensagem arriadinha para uma amiga, sobre um antigo affaire que havia casado na Tailândia. No outro dia, o comentário dela foi longe de ser uma piada. Lembrou-me de que eu havia me esquecido de seu aniversário, que não havia ligado para o namorado dela, um grande amigo meu, cuja mãe estava Leia mais… »