O que a gente ganha, quando a gente perde

Ontem à noite eu trabalhei até tarde, e decidi não dormi na cama com meu namorado. Ele tem o sono leve, acorda às 6h da manhã, e fazer minha rotina pré-cama poderia acordá-lo. Na última vez que fiz isso ele perdeu o sono, e não foi legal. Então às 3h da madrugada quando terminei minhas Leia mais… »

Sobre luto e luta

Hoje é aniversário do meu irmão. E não importa quanto planejamento emocional e espiritual a gente faça, nunca se está preparado para viver um dia em que a saudade grita tanto. Onde a dor pede passagem. Luto e luta convivem, nunca separadamente. É preciso ter coragem pra encarar o luto. Mais ainda para conseguir seguir Leia mais… »

As lágrimas da minha mãe

Pouca coisa me tira do prumo como as lágrimas da minha mãe. Eu poderia lidar com o equivalente de água de um tsunami, mas Deus me proteja de duas gotas que caiam daqueles olhos verdes.   Sempre foi assim. Mesmo quando nossas dores eram menores, e menos definitivas. As lágrimas da minha mãe eram um Leia mais… »

365 dias sem você

Eu prometi para mim que não contaria os dias da tua ausência. Mas essa foi mais uma das vezes que me enganei para poder sobreviver a nossa separação. Como uma dependente química em recuperação. “Hoje eu sobrevivi mais um dia sem meu irmão”. Fato é que eu contei cada um dos dias desde a tua Leia mais… »

A vistoria

Eu queria poder parar de escrever sobre isso, entretanto estes sentimentos são tão presentes quanto a minha própria presença. Tão visíveis quando a roupa que eu visto. Tão urgentes quanto à vontade que eu tenho de seguir adiante. Leia mais… »

Me engana, que eu gosto

Em um áudio de whatsapp qualquer, duas amigas atualizavam-se sobre as novidades de suas vidas, vidas essas separadas pela distância geográfica – uma no Brasil enquanto a outra morava em Barcelona. De um lado eu convencia a minha amiga que estava lidando relativamente bem (se é que isso é possível) com a perda recente do meu irmão, Leia mais… »

Tristeza, pode passar

É como se eu tivesse recebendo uma educação. É, um phD em tristeza. Acessando níveis de profunda introspecção na arte de arder o coração em pesar. Encontro-me num processo muito similar a aprender uma nova língua ou uma habilidade nunca antes desenvolvida. Eu estou virando uma perita na produção de lágrimas. Gordas, pesadas e inconvenientes. Leia mais… »

Coisa de Antônia: Adote um humano

Hoje o “Coisa de Antônia” do ATL Girls conta a história de um pequeno guerreiro que achou seu guardião para então virar o meu anjo da guarda. Clique no focinho do Django e conheça a história deste amor: