Negra, poderosa e politizada | Coisa de Antônia

Ok, que Beyoncé arrasa, ninguém discute. Mas aí veio o 50° Super Bowl, e a coisa foi elevada a um nível em que até os conservadores tiveram que engolir a diva pop. Não por causa do carão e da caminhada baphônica. Não. Mas porque Bey ousou esfregar na cara dos Estados Unidos em seu principal Leia mais… »