Mamãe Noel

Eu sei quando é Natal quando a minha mãe decide que é Natal. Tudo começa com um pequeno vaso de poinsétia sobre a mesa. Poinsétia, bico de papagaio, estrela de Belém, ou também conhecida como a flor do Natal. É nas suas folhas vermelhas sobre a mesa de jantar que eu sou notificada que o Leia mais… »

16 medos

Não precisa ser nenhum gênio para concluir que esse ano foi fodido. Desculpe o meu francês, eu normalmente sou mais educada, mas esse ano foi fodido e pronto. Se você torcia pela Dilma, por Temer, pelo país, foi fodido. Pela economia brasileira, pela mundial, ou pela sua, foi fodido. E quanto tenta sair da esfera Leia mais… »

Relacione-se com quem você admira. E só!

Há muito tempo, quando eu ainda trabalhava na Atlântida, em uma das minhas muitas conversas filosóficas com o meu colega de ilha, eu tive uma epifania. Um daqueles momentos divisores de água. O Luciano Lopes, mais conhecido como Potter, tinha muitas teorias das quais eu discordava sobre relacionamento, mas uma delas me mudou de forma Leia mais… »

Abundância

Dia dessas uma amiga minha falava sobre o poder da abundância, e eu ouvia calada com certo ceticismo. Eu odeio quando sou cética frente a estes movimentos mais humanos, mais otimistas. Normalmente eu sou uma otimista. Entretanto, por vezes eu perdoo a minha falta de fé, afinal, fomos treinados para competir, muito mais do que Leia mais… »

Meus passos

Tudo começou em um carnaval há dois anos. Depois de algumas cervejas, era hora de me locomover, e pedi a uma amiga que não havia bebido para levar o meu carro até a lancheria onde curaríamos a nossa bebedeira. Horas depois de comer, eu já estava me sentindo melhor para dirigir – aliás, eu já Leia mais… »

Cuide de seus pais

Eu fico impressionada com a quantidade de planejamento que é feito para a chegada de um bebê. Quer dizer, aquela pessoinha é menor que um antebraço, caberia tranquilamente numa caixa de sapato, e movimenta mundos e fundos antes mesmo de sua estreia. Pelo novo rebento a gente monta quartos, visita médicos, compra pencas de modelitos Leia mais… »

365 dias sem você

Eu prometi para mim que não contaria os dias da tua ausência. Mas essa foi mais uma das vezes que me enganei para poder sobreviver a nossa separação. Como uma dependente química em recuperação. “Hoje eu sobrevivi mais um dia sem meu irmão”. Fato é que eu contei cada um dos dias desde a tua Leia mais… »

Aceita idiota

Quando eu tinha uns 7 ou 8 anos eu era obcecada pelo mar. Aquela imensidão azul tinha uma força de atração indescritível sobre mim. E para o desespero da minha mãe, eu tinha pouquíssimo receio quanto os perigos e mistérios das marés. Por vezes vi minha mãe surtando na areia enquanto me desbravava para além Leia mais… »

É preciso ir embora – a verdade

Há exatos 18 meses eu escrevi um texto que mudou a minha vida. Mal sabia eu, que o texto “É preciso ir embora” ia chacoalhar tanta gente, com aquilo que era apenas um desabafo. O texto viralizou de uma maneira que eu nunca esperava. Deu a volta ao mundo, e botou o meu pequeno divã, Leia mais… »

Vai ficar tudo bem, pai.

É engraçado que quando somos crianças nós não percebemos que as nossas brincadeiras e joguinhos, instintivamente nos preparam para sobreviver à vida adulta. Brincar de casinha, nos dá pequenas noções de sermos responsáveis por um espaço, ou quando brincamos de carrinho, imaginamos como manusear um veículo com cuidado, assim como bonecas e bonecos nos fazem Leia mais… »